Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

RGE e RGE Sul investem R$ 546,3 milhões na rede elétrica nos primeiros nove meses de 2017

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   23/11/2017

​Caxias do Sul, 24 de novembro de 2017 – Alinhadas com o Planejamento Estratégico do Grupo CPFL Energia, a RGE e RGE Sul, distribuidoras de energia elétrica para 373 municípios gaúchos, investiram R$ 546,3 milhões em obras de ampliação, melhoria e modernização da rede elétrica nos nove primeiros meses deste ano. O montante é 36,5% superior ao recurso destinado pelas duas concessionárias no mesmo período de 2016, quando foram aportados R$ 400 milhões. A projeção é de que o ano finalize com investimentos superiores a R$ 700 milhões na soma das duas operações do Grupo CPFL no Rio Grande do Sul, superando a previsão estabelecida no começo do ano.
 
Na área de concessão da RGE, grandes obras foram concretizadas entre janeiro e setembro. Um dos exemplos é a construção de uma nova linha de distribuição de energia que já está em operação, atendendo diretamente 45 mil clientes de Gramado, Canela e cidades próximas. Nessa nova fonte de alimentação foram investidos R$ 11,5 milhões para atender a uma demanda histórica da região, que é o principal polo turístico do Rio Grande do Sul. A partir de agora, há uma interligação entre os sistemas de energia de Farroupilha, Feliz, Nova Petrópolis e Canela e os consumidores atendidos pela Subestação Gramado. A nova linha tem uma extensão de 17,5 quilômetros e 81 torres.
 
O valor total investido pela RGE nos três primeiros trimestres do ano chega a R$ 278,5 milhões, número superior aos R$ 211,5 milhões do mesmo período de 2016. Diversas outras obras também foram realizadas em outras regiões, como a Noroeste, bastante castigada por temporais neste ano. O propósito da RGE é fortalecer o sistema de distribuição com o aumento da capacidade das subestações, onde for necessário, e com novas linhas de distribuição que permitam, como no caso de Gramado e Nova Petrópolis, uma interligação entre os sistemas de distribuição das diversas cidades.
 
O Gerente de Operações da RGE e RGE Sul, Rodrigo Bertani, salienta que o fortalecimento das redes de distribuição e a construção de alternativas, como uma segunda linha ou um segundo circuito alimentador numa determinada região, representa maior confiabilidade para o fornecimento de energia. "Esses investimentos se traduzem em melhorias que vão ser percebidas nos indicadores de qualidade da empresa, principalmente quando nossas redes são castigadas por temporais", diz Bertani.
 
Na RGE Sul os primeiros nove meses de 2017 também se refletiram em um aumento significativo de investimentos em todo o sistema de distribuição de energia. A empresa, que faz parte do Grupo CPFL desde novembro do ano passado, aumentou os valores investidos de R$ 188,6 milhões, entre janeiro e setembro de 2016, para R$ 267,8 milhões no mesmo período deste ano. Esses recursos foram aplicados em obras executadas nos 118 municípios da área de concessão.
 
Só uma delas, a ampliação da Subestação Formigueiro e a construção da correspondente linha de transmissão, na Região Central, significou investimento de R$ 16,53 milhões. A obra atende diretamente 36 mil clientes de Formigueiro, São Sepé, Capaçava do Sul, Santana da Boa Vista e parte de Santa Maria. A potência da subestação foi ampliada em 60%, disponibilizando mais energia para atendimento aos clientes, e a linha tem 12 quilômetros de extensão, com 99 torres.
 
O presidente da RGE e da RGE Sul, José Carlos Tadiello, comemora a expansão dos investimentos e ressalta os benefícios sociais e econômicos dos investimentos em infraestrutura elétrica. "Nossos investimentos estão permitindo projetar o futuro dos municípios onde atuamos. Redes elétricas mais robustas e com equipamentos de última geração, além de proporcionar maior confiabilidade ao dia a dia das comunidades, possibilita aos gestores públicos e lideranças em geral trabalharem para a atração de investimentos. Novos negócios podem ser implantados e outros podem ser ampliados, a partir do momento em que há oferta de energia e estrutura de rede para a distribuição", explica Tadiello. "Vamos seguir investindo e cumprindo o nosso compromisso de fornecer energia elétrica com qualidade aos quase oito milhões de gaúchos atendidos pelas duas distribuidoras."

Tags:
    rge; rge sul; investimento; terceiro trimeste; 3717; rede elétrica; rio grande do sul