Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

RGE e RGE Sul fazem 87 mil inspeções em busca de irregularidades nos primeiros sete meses de 2017

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   22/08/2017

Caxias do Sul, 23 de agosto de 2017 – Segurança é a prioridade em todas as atividades operacionais das distribuidoras do Grupo CPFL Energia no Rio Grande do Sul. Por isso, a RGE e RGE Sul executam, entre janeiro e julho deste anos, 87 mil inspeções na rede de distribuição para detectar adulterações e conexões clandestinas, os populares gatos. Deste total, 22 mil delas identificaram algum tipo de problema. O foco desta programa contínuo em todas as distribuidoras da CPFL é evitar acidentes com a população com as ligações precárias e que não observam os padrões e normas técnicas. Esse tipo de prática, além de crime tipificado no Código Penal, compromete todo os sistema de abastecimento das cidades, uma vez que pode ocasionar falhas e sobre cargas na rede. A estimativa é de até o final do ano as duas distribuidoras, juntas, recuperem o montante de R$ 97,8 milhões em energia desviada do sistema.

De acordo com dados da Gerência de Serviços de Recuperação de Energia da RGE e RGE Sul, neste ano foram intensificadas as ações conjuntas com a Polícia Civil gaúcha. Todos os meses, em média, dois clientes foram flagrados e autuados em flagrante pela Polícia pelo furto de energia elétrica. Mesmo que as ações policiais tenham foco principal os clientes comerciais e empresariais, as operações da RGE e RGE Sul também abrangem os clientes residenciais, que integram a maior parcela dos clientes ativos.

Segundo o gerente Alexsandro da Silva Souza, nas inspeções nas unidades consumidoras, quando há o flagrante de irregularidades, são feitos os cálculos da quantidade de energia furtada e o consumo que não passou pela medição é cobrado. "Além disso, as ações da gerência incluem o desligamento de ligações em invasões e áreas não regulamentadas pelo poder público. O modelo utilizado atualmente é tão eficiente que é uma questão e tempo para identificar quem frauda ou furta energia elétrica“, explica Souza. 
 
Para identificar os fraudadores, além das inspeções de campo, os profissionais trabalham com o cruzamento de dados de consumo e inteligência artificial, que permitem identificar com mais precisão possíveis fraudes. 

Rastrear e fazer o desligamento dessas ligações clandestinas é uma questão pública. Esse procedimento evita acidentes graves e fatais. Também ajuda a evitar curtos-circuitos que afetam a rede e que, em muitos casos, provocam o desligamento e a queima de equipamentos e eletrodomésticos de toda uma vizinhança. 

As ligações irregulares também são responsáveis pela sobrecarga da rede de energia elétrica que deixa o sistema de distribuição mais suscetível à interrupção. “A regularização destes clientes não apenas traz cidadania para essa parcela da população, como também beneficia todos os consumidores com um serviço de melhor qualidade”, afirma Alexsandro Souza.

Diante desta realidade, a campanha “Chega de Choque” é divulgada pelo Grupo CPFL  em uma iniciativa que a alerta a população sobre os riscos do convívio inadequado com a rede elétrica e a redução dos acidentes. A campanha, que terá duração até dezembro deste ano, envolve a divulgação de conteúdos sobre segurança em rádios, Facebook e banners de internet, anúncio em jornal e carro de som. O Grupo CPFL realizará, ainda, diversas blitz pelas cidades de suas áreas de concessão, com a distribuição de folders e materiais alusivos para o engajamento da população e profissionais que trabalham na área de construção civil.
 
Consciência cidadã

A instalação legal do medidor de energia elétrica em um estabelecimento, além de beneficiar o consumidor, assegurando a leitura exata do consumo de luz daquela unidade, ainda garante ao cidadão o reconhecimento legítimo de endereço de moradia quando a comprovação desta for solicitada.
 
Para reduzir o furto de energia, a RGE e a RGE Sul mantém um programa constante de inspeções. Há vários canais de denúncia para casos de fraudes e furtos, por meio dos quais é possível passar as informações sem a necessidade de identificação do denunciante. Confira:
 
E-mail: denunciafraude@cpfl.com.br: esse canal atende as demandas pontuais dos seguintes órgãos: Ouvidoria, Grupo “A”, Agências de Atendimento, dentre outros.
Telefone: Denúncia de Furto de Energia pelo telefone 0800 721 0721, os clientes conseguem denunciar as possíveis fraudes e furtos de energia.
Web: pelo endereço eletrônico www.rge-rs.com.br/atendimento-a-consumidores/produtos-e-servicos/Paginas/denuncia-de-furto-de-energia.aspx
Tags:
    rge; rge sul; inspeções; ligações clandestina; ligações irregulares; recuperação de energia;