Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia registra Ebitda gerencial de R$ 928 milhões no quarto trimestre de 2014

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   01/04/2015


Aumento do consumo e crescimento das margens da CPFL Brasil atenuam queda do indicador gerada pelas despesas operacionais e com compra de energia​

Campinas, 02 de abril de 2015 – A CPFL Energia, maior grupo privado do setor elétrico brasileiro, apurou Ebitda gerencial de R$ 928 milhões no quarto trimestre de 2014, queda de 9,8% na comparação com igual período de 2013. Esse resultado é fruto do aumento das despesas operacionais e dos maiores gastos com a compra de energia na geração, parcialmente compensado pelos melhores resultados na atividade de comercialização e pela alta das vendas na distribuição. O resultado gerencial registra os ativos e os passivos financeiros setoriais, exclui os itens não recorrentes e faz a consolidação proporcional dos ativos de geração.

A receita líquida do Grupo (excluindo a receita de construção) registrou crescimento de 28,5% no mesmo intervalo de comparação, para R$ 4,4 bilhões. Os reajustes tarifários, o aumento do consumo dos clientes de baixa tensão e a contabilização dos ativos financeiros setoriais contribuíram com R$ 721 milhões. O segmento de Comercialização e Serviços participou com R$ 299 milhões, em razão da expansão da CPFL Serviços e das melhores margens da CPFL Brasil. Por sua vez, a área de geração convencional contribuiu com outros R$ 57 milhões, refletindo a operação das térmicas da Epasa e a estratégia de sazonalização.

O consumo de energia nas áreas de concessão das oito distribuidoras da CPFL Energia, localizadas nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais, cresceu 2,1% no quarto trimestre de 2014, frente ao mesmo período de 2013, para 15,318 mil gigawatts-hora (GWh). A desaceleração da economia foi compensada pela expansão da demanda dos clientes residenciais e comerciais.

Na análise por classe, o consumo de energia dos clientes comerciais nas áreas de concessão do Grupo cresceu 8,6% e a dos residenciais, 5,8%. Contudo, o consumo industrial teve queda de 3,5%, refletindo os efeitos negativos da desaceleração da atividade econômica no País. As vendas de energia no mercado cativo aumentaram de 4,9%, para 11,075 mil GWh, ao passo que o consumo faturado dos clientes livres pela Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD) recuou 4,4%%, totalizando 4,243 mil GWh. 

O lucro líquido gerencial caiu 25,8%, entre o quarto trimestre de 2014 e o mesmo período de 2013, para R$ 280 milhões. Além dos fatores anteriormente citados, o resultado líquido do Grupo também foi afetado negativamente pelo aumento das despesas financeiras, em decorrência do aumento da taxa de juros (Selic). 

Diante do cenário desafiador do setor elétrico brasileiro e a fim de preservar a liquidez em face à volatilidade de curto prazo, a CPFL Energia aproveitou uma janela de mercado no começo do ano para reforçar a sua posição de caixa. O Grupo realizou captações que somaram R$ 2,8 bilhões. No fim de 2014, os R$ 4,088 bilhões em caixa representavam 1,4 vez as dívidas vencendo em 2015. 

Resultados de 2014

A CPFL Energia, em 2014, registrou lucro líquido gerencial de R$ 1,158 bilhão, um decréscimo de 11,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado reflete o impacto negativo da redução das margens por conta da revisão tarifária das concessionárias RGE (RS) e CPFL Paulista (SP) e a alta das despesas financeiras com o aumento da Selic, impactando o custo da dívida do Grupo.

Já o Ebitda gerencial, por sua vez, ficou estável no mesmo período de comparação, com ligeira alta de 0,2%, registrando R$ 3,916 bilhões. A redução na geração de caixa provocada pelas revisões tarifárias foi parcialmente compensada pelas melhores margens da CPFL Brasil e pela expansão das operações do negócio de geração, juntamente com a estratégia de sazonalização adotada em 2014.

A receita líquida gerencial cresceu 14,7%, em igual intervalo de comparação, alcançando R$ 15,687 bilhões. O resultado reflete o aumento das vendas de energia no segmento de distribuição, a expansão dos negócios da CPFL Brasil e da CPFL Serviços e a ampliação das operações do segmento de geração por meio da CPFL Renováveis, maior empresa de energias renováveis do Brasil.

Investimentos

Os investimentos em 2014 somaram R$ 1,062 bilhão. Desse total, R$ 702 milhões foram destinados as oito distribuidoras do grupo para ampliar, reforçar e efetuar a manutenção dos sistemas elétricos, visando atender ao crescimento do mercado. O negócio de geração recebeu R$ 265 milhões, aplicados, principalmente, na implantação dos Complexos Eólicos Campo dos Ventos, São Benedito e Pedra Cheirosa. Foram investidos também R$ 94 milhões nas áreas de comercialização e serviços. 

Em 2014, a CPFL Renováveis ampliou significativamente o seu parque gerador. A companhia concluiu a implantação dos Complexos Eólicos Macacos I, Atlântica e Eurus, além da entrada em operação comercial do Complexo Eólico Santa Clara e o parque eólico Campos dos Ventos II. A geradora também expandiu suas operações por meio da incorporação da Desa e da aquisição da Rosa dos Ventos. Com isso, a empresa fechou o ano com 80 empreendimentos, totalizando 1,772 mil MW. 

Com o avanço dos projetos na área de energia renovável, a CPFL Energia vem expandindo a capacidade instalada em geração. O parque gerador do grupo soma agora 3.127 MW, consolidando a condição da companhia como a segunda maior empresa privada de geração de energia do País.

Resultado em IFRS

O resultado do quarto trimestre de 2014 no padrão contábil IFRS é o primeiro a contabilizar os ativos e os passivos regulatórios do setor, denominados ativos e passivos financeiros setoriais após a deliberação nº 732, da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A volta dos ativos e passivos regulatórios, que representam as diferenças entre os custos com compra de energia e encargos setoriais estimados na tarifa dos consumidores e o gasto real incorrido pelas concessionárias, era um antigo pleito do setor. 

A CPFL Energia contabilizou os ativos financeiros setoriais no resultado do quarto trimestre, gerando impacto positivo de R$ 831 milhões na linha do Ebitda e de R$ 549 milhões no lucro. Com isso, o Ebitda aumentou 47,2% na comparação com igual período de 2013, para R$ 1,342 bilhão. O lucro cresceu 45,5%, para R$ 470 milhões.

No ano de 2014, o Ebitda IFRS teve alta de 6% frente a 2013, para R$ 3,761 bilhões. O lucro líquido, por sua vez, recuou 6,6%, para R$ 886 milhões.

Relatório Anual

No próximo dia 30, a CPFL Energia irá divulgar ao mercado o seu Relatório Anual. Pela primeira vez, o documento foi elaborado com base na estrutura de “Relato Integrado”. Trata-se de uma ferramente de gestão integrada com o objetivo de explicar aos stakeholders como as organizações geram valor ao longo do tempo, cujo enfoque vai além dos itens financeiros, levantando temas como capital humano, capital social e relacionamento, capital natural, entre outros. 

Entre os destaques, o Grupo reporta no relatório anual que foram investidos R$ 11,613 milhões em capacitação dos colaboradores em 2014, resultando em uma média de 78,4 horas de treinamento por funcionário, superior à média nacional de 50 horas. Atualmente, em torno de 8% dos clientes das distribuidoras do grupo, aproximadamente 600 mil consumidores, recebem contas em plataformas digitais.

Adicionalmente, os R$ 57,5 milhões investidos em eficiência energética, em 2014, permitiram a regularização de 1,570 mil clientes, a troca de 8,910 mil geladeiras, a implantação de 5,195 mil trocadores de calor, a substituição de 122,432 mil lâmpadas por modelos mais eficientes, a realização de 1,695 mil reformas elétricas internas e a instalação de 4,300 mil aquecedores solares. O volume de energia economizado com esses projetos foi de 39 mil MWh, suficiente para abastecer 16,250 mil clientes residenciais, com consumo médio de 200 kWh, por um mês. 

A CPFL Energia promove, às 11h desta sexta-feira, 27/3, a teleconferência de resultados do quarto trimestre de 2014. Os jornalistas poderão se conectar ao evento pelo telefone 55-11-3193-1001 ou pelo site www.cpfl.com.br/ri e participar como ouvintes. 


Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 102 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 13% de participação, totalizando mais de 7,5 milhões de clientes nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o segundo maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011 criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo, e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.127 MW no final do quarto trimestre de 2014. O grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os 15 maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 10º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Tags:
    resultados trimestrais; quarto trimestre de 2014; IFRS; lucro