Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

Queimadas causaram 90 interrupções no fornecimento de energia entre janeiro e julho de 2016

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   15/08/2016

Caxias do Sul, 16 de agosto de 2016 – As queimadas na zona rural, quando observadas as normas técnicas, são aparadas pela legislação do Rio Grande do Sul. Entretanto, a prática criminosa deste mecanismo de controle de pragas do campo e incêndios provocados ou acidentais causaram, nos sete primeiros meses deste ano, 90 interrupções no abastecimento de energia elétrica na área de concessão da Rio Grande Energia (RGE). Erechim foi a cidade com o maior número de registros, seguida por Caxias do Sul e Gravataí. 


As cidades da RGE com o maior número de ocorrências por queimadas

Cidades                               Nº de Ocorrências

Erechim                              10
Caxias do Sul                     7
Gravataí                               7
Planalto                               5
Passo Fundo                     3
Santo Ângelo                     3

Embora as queimadas façam parte da cultura do produtor rural do Rio Grande do Sul, em muitos casos a legislação é burlada e o fogo se alastra para próximo da rede de distribuição e transmissão de energia. Esses incêndios, invariavelmente, são responsáveis pelo desabastecimento momentâneos de comunidades inteiras e dificultam o trabalho das equipes de campo da RGE.  Ainda que alguns desligamentos sejam breves e não sejam sentidos pela população, acabam comprometendo o trabalho o maquinário instalado em indústrias, que demandam mais tempo para retomar a atividade e causam prejuízo a toda cadeia produtiva.

Mesmo que as chamas não atinjam os cabos da rede, o calor gerado pelo fogo é suficiente para danificar o sistema pela criação do efeito conhecido como arco-voltaico. O fenômeno que se configura pela propagação da energia pelo ar. O calor ainda compromete os componentes, deixando-os mais vulneráveis às adversidades climáticas, como fortes rajadas de vento e descargas atmosféricas.  A fuligem ocasionada pelas queimadas também aquece o ar, podendo provocar superaquecimento dos cabos, o que aumenta a possibilidade de um curto-circuito e do rompimento de cabos.

Conforme o gestor do Centro de Operações Integrado da RGE, Rodrigo Bertani, os desligamentos provocados por queimadas, mesmo que momentâneos, os chamados “piscas”, afetam todo o sistema elétrico e obrigam, em alguns casos, a realização de manobras emergenciais para remanejar carga e evitar o desabastecimento de um número significativo de consumidores ou clientes prioritários, como escolas, hospitais e postos de saúde.
“Os incêndios que atingem a rede por causa de queimadas em área de plantio, por exemplo, podem ser evitados com cuidados básicos, como o respeito a faixa de servidão das linhas e a utilização de culturas que não necessitem esse tipo de manejo para o controle de pragas”.

Legislação sobre queimadas
 
Proibidas em algumas áreas municipais, as queimadas são autorizadas pelo Ibama sob critérios técnicos, com o uso de aceiros, que impedem a propagação do fogo além dos limites estabelecidos. Ao receber a autorização para a queimada, o proprietário da área é instruído sobre a melhor maneira de executar o trabalho. O Ibama também distribui material educativo onde a prática é usual. Em situações especiais, o Ibama pode proibir queimada, o que não impede que ela ocorra de forma ilegal, provocando incêndios florestais.
 
Como forma de prevenir tais situações, conforme os Decretos Federais 24.643/34, 35.851/54, 41.019/57 e 84.398/80, uma das medidas que devem ser respeitadas pelos produtores no cultivo é o respeito às faixas de servidão, que são os corredores de 30 ou 40 metros de largura localizados embaixo das linhas de transmissão, nos quais não é permitido o plantio.
 
Já a Lei Estadual 13.931/2012 regulamenta a queima controlada como fator de produção e manejo em atividades agrícolas, proibindo queimadas próximas a instalações elétricas e de telecomunicações.
 
Em caso de incêndio sob a rede elétrica, a população pode informar a RGE pelos canais de relacionamento da empresa, como o site www.rge-rs.com.br e pelo telefone gratuito 0800 970 0900, que funciona ininterruptamente. Para o registro de falta de energia, os consumidores também podem enviar um SMS (digitar a palavra LUZ e o código da fatura para o número 27350) ou acessar o aplicativo para smartphones CPFL e Você.

Dicas para o convívio adequado entre rede elétrica e queimadas:

 Não realize queimadas em áreas próximas às redes elétricas;
 Faça "aceiros" para controlar o fogo;
 Respeite a "faixa de servidão" das linhas de transmissão ao realizar o plantio;
 Não solte balões. Além de ser proibido por lei, o balão provoca incêndios;
 Não jogue pontas de cigarro acesas nas matas ou em acostamentos das rodovias. Muitos incêndios surgem desse ato;
 Ao identificar um foco de incêndio, avise a Guarda Florestal e o Corpo de Bombeiros. Se for às margens de uma rodovia ou próximo de uma rede elétrica, avise também a concessionária responsável.
Tags:
    rge; segurança; queimadas; riscos; rio grande do sul