Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

Instituto CPFL lança série inédita de documentários com escritores finalistas e vencedores do Prêmio Oceanos

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   07/02/2018


Campinas, 08 de fevereiro de 2018 - Escritores finalistas e vencedores do Prêmio Oceanos, o maior da literatura em Língua Portuguesa, percorrem os aspectos mais sonantes da própria obra e da vida atual na série Prisma Literário CPFL, programa audiovisual desenvolvido em parceria do Instituto CPFL com o Oceanos. Com curadoria de Selma Caetano e de Manuel da Costa Pinto, a série já pode ser conferida no site (institutocpfl.org.br) e na página do Instituto CPFL no Facebook (https://www.facebook.com/institutocpfl/ ) e também no site da Associação Oceanos. O objetivo é promover a cultura literária entre jovens, aproximando-os dos autores premiados.

Na série, nomes como Gonçalo M. Tavares, José Castello, Maria Esther Maciel, Eucanaã Ferraz, Bernardo Carvalho, Silviano Santiago e Sérgio Sant’Anna refletem sobre os temas abordados em seus livros, como tecnologia e destruição, arte e loucura, animalidade, Mal, memória, entre outros.

De acordo com Mário Mazzilli, diretor do Instituto CPFL, o programa é mais uma ação alinhada com os princípios do Instituto CPFL de se associar a quem possui um grande conhecimento de linguagens artísticas específicas, como é o caso das parcerias com a Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e a TV Cultura. 

“Este apoio ao Prêmio Oceanos, o maior da língua portuguesa, nos dá a oportunidade de divulgar um conjunto de pequenos vídeos com escritores e críticos literários. Ninguém melhor do que eles para aproximar o público de suas obras. O Prisma Literário se soma, dessa maneira, ao nosso grande acervo de programas audiovisuais, que inclui o Café Filosófico CPFL, o Invenção do Contemporâneo e os documentários em diversos formatos disponibilizados em nossos canais digitais, como o YouTube, Vimeo e o aplicativo do Instituto CPFL”.
  
Confira as sinopses de cada episódio:
 
Canção entre ruínas
Gonçalo M. Tavares e Romulo Fróes
Curadoria: Selma Caetano
Direção: Murilo Alvesso
 
No cenário da Vila Itororó, em São Paulo, Gonçalo M. Tavares, vencedor do Oceanos em 3 edições, fala do século XXI e de uma nova mitologia literária, em que as máquinas e a tecnologia potencializam o poder transformador - e destruidor - da civilização. No vídeo, o compositor Romulo Fróes que interpreta, na voz e no violão, canções baseadas no livro Uma menina está perdida no seu século à procura do pai - um relato humano e afetivo de uma menina com síndrome de down que vaga por uma Europa do pós-guerra. O cenário de ruínas remete às aberrações e vítimas de outras guerras que marcaram a nossa história recente.
 
Transe visionário
José Castello e Arthur Bispo do Rosário
Curadoria: Selma Caetano
Consultoria: Beatriz Resende
Direção: Joel Pizzini
 
Em 1985, José Castello passou dois dias com Arthur Bispo do Rosário na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, para uma entrevista publicada na revista IstoÉ. Mais de 30 anos depois, Transe visionário leva o escritor de volta ao hospital psiquiátrico, onde relembra o primeiro encontro e fala, em uma comunicação telepática com o Bispo, de liberdade de pensamento e das relações entre arte e loucura, vida e transe, realidade e alucinação. Como fonte, dois relatos de Castello: um ficcional do livro Dentro de mim ninguém entra, livremente inspirado na vida do Bispo do Rosário; e outro ensaístico, do livro Inventário das sombras sobre o artista que criou sua obra visionária no Instituto Municipal de Assistência à Saúde Juliano Moreira (também conhecido como Colônia).
  
É animal!
Maria Esther Maciel
Curadoria: Manuel da Costa Pinto
Direção: Murilo Alvesso
 
A escritora Maria Esther Maciel fala dos conceitos de animalidade e zooliteratura como expressão de nossas formas de relacionamentos com o não-humano. Em seus livros Literatura e animalidade e Pensar/escrever o animal, Maria Esther discute como a constituição da identidade humana e o pensamento dito humanista foram construídos numa relação de negação e aniquilamento do animal.
 
Coisando
Eucanaã Ferraz
Curadoria: Selma Caetano
Direção: Joel Pizzini
 
A = Alfinete, Anel, Anzol, Avião...
B= Bicicleta, Bola, Botão, Brinco...
No cenário da Fábrica Bhering, no Rio de Janeiro, Eucanaã Ferraz fala sobre poema e faz um inventário de coisas do mundo moderno ocidental. A partir da leitura do livro Cada coisa e de poemas de outras obras, como Sentimental, prêmio Portugal Telecom, Eucanaã Ferraz, professor, ensaísta e autor de histórias infantis, esquadrinha o significado lúdico dos mais diversos objetos que, de tão presentes em nossas vidas, passam despercebidos.
​ 
Simpatia pelo demônio
Bernardo Carvalho
Curadoria: Selma Caetano
Direção: Murilo Alvesso
 
Bernardo Carvalho aborda as diferentes dimensões do Mal (política e subjetiva) presentes em seu romance Simpatia pelo Demônio, vencedor do Oceanos 2018.
 
Machado O título anterior era uma referência que Silviano faz de Foucault. Talvez tenha ficado obscura, então melhor deixar apenas Machado  
Silviano Santiago
Curadoria: Selma Caetano
Direção: Murilo Alvesso
 
O escritor Silviano Santiago - duas vezes vencedor do Oceanos - fala sobre a relação entre memória e literatura, vida e sociedade, a partir de Machado, romance que aborda ficcionalmente os últimos dias da vida de Machado de Assis. 
 
Muitas histórias
Sérgio Sant’Anna
Curadoria: Selma Caetano
Direção: Murilo Alvesso
 
Vencedor do prêmio com O voo da madrugada, Sérgio Sant'Anna fala das relações entre memória e invenção a partir do livro mais autobiográfico de sua trajetória, Conto zero e outras histórias, finalista do Oceanos 2017.
 
Mais informações em institutocpfl.org.br

Tags:
    Instituto CPFL; Prêmio Oceanos; Literatura; CPFL Energia