Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Piratininga investe R$ 48,8 milhões na rede elétrica da Baixada Santista

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   05/04/2017

Investimentos foram realizados em 2016, nas cidades ​da região atendidas pela distribuidora

Santos, 6 de Abril de 2017 – A CPFL Piratininga – distribuidora do Grupo CPFL Energia, que atende 1,69 milhão de consumidores em 27 municípios do interior e litoral do estado de São Paulo – investiu em 2016 mais de R$48,8 milhões nas cidades atendidas pela empresa, na região da Baixada Santista – Santos, São Vicente, Praia Grande, Cubatão e o distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá. Todo o montante foi destinado a quatro grandes frentes de trabalho, relacionadas a: suporte e crescimento do sistema elétrico, atendimento ao cliente, plano de modernização e manutenção das linhas de distribuição de energia.

Dentre os trabalhos mais importantes, a concessionária realizou obras de suporte ao crescimento de mercado, aumento de capacidade de subestações e linhas de transmissão, além de adequação, manutenção e expansão de redes. Tudo para tornar o sistema elétrico mais robusto, seguro e confiável, melhorando o nível de conforto aos seus clientes. Até o final de 2016, mais de 625 mil clientes eram atendidos pela CPFL Piratininga na Baixada Santista.

Do montante investido pela concessionária no município, cerca de R$11,4 milhões foram destinados aos projetos que viabilizam o atendimento ao cliente e o crescimento do mercado, por meio da ampliação da extensão das redes elétricas e da instalação de novos medidores a clientes residenciais, comerciais e industriais. A companhia investiu outros R$21,6 milhões no plano de modernização, que incluiu o aumento da capacidade de linhas de transmissão, readequação da malha de distribuição e projetos de smart grid (rede elétrica inteligente).

Aproximadamente R$5 milhões foram investidos na manutenção das linhas de distribuição de energia, com foco na rede primária, na substituição de transformadores avariados e em manutenção programada. Os investimentos em melhoramento da rede elétrica somaram R$10,7 milhões. Em linhas gerais, o sistema elétrico que atende a região contou com a ampliação de suas redes secundária e primária, substituição de equipamentos e readequação de subestações, preparando a rede elétrica para o aumento futuro da demanda por energia, tanto do parque industrial, quanto das classes comercial e residencial.

Para o presidente da CPFL Piratininga, Carlos Zamboni Neto, a realização dos investimentos demonstra o compromisso da distribuidora com a excelência em serviços junto aos clientes e na manutenção da qualidade de seus sistemas. "As obras realizadas, ao longo de 2016, trouxeram mais qualidade para os clientes da Baixada Santista. A continuidade no fornecimento de energia revela o papel da distribuidora em manter uma infraestrutura preparada, para responder às necessidades de crescimento e desenvolvimento dessas cidades", afirma Zamboni.

Qualidade do serviço

Os investimentos realizados na Baixada Santista contribuem para que a CPFL Piratininga tenha os melhores indicadores de continuidade no fornecimento de energia do País, segundo o ranking da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Em média, os clientes da concessionária na Baixada Santista ficaram 4,49 horas sem energia, durante o ano de 2016. A frequência das interrupções é de 2,79 vezes, índices considerados os mais baixos do Brasil.

"Mais do que no ranking oficial da agência reguladora, a qualidade da energia fornecida pela CPFL Piratininga está evidente na satisfação de nossos clientes. Os índices da ANEEL comprovam que os investimentos da distribuidora são realizados de forma consciente e com responsabilidade", avalia Zamboni. Para efeito de comparação, o DEC médio no Brasil foi de 15,82 horas e o FEC médio, de 8,86 vezes.

Nos 27 municípios da sua área de concessão, a distribuidora investiu R$ 173,6 milhões até setembro, um aumento de 24% em relação aos R$139,7 milhões aportados em igual período de 2015. Os recursos destinados à CPFL Piratininga integram os investimentos realizados pelo Grupo CPFL em suas nove distribuidoras. Em 2016, a companhia aplicou R$ 1,2 bilhão em projetos no segmento de distribuição, crescimento de 38,2% ante igual intervalo do ano passado.

Sobre a CPFL Energia

A CPFL Energia, há 104 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, comercialização, serviços e telecomunicações. É líder no mercado de distribuição, com 14,3% de participação, totalizando mais de 9,1 milhões de clientes em 679 cidades em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná.

Na comercialização, é um dos líderes no mercado livre, com uma participação de mercado de 14,1% na venda para consumidores finais entre as comercializadoras. É um dos líderes na comercialização de energia incentivada para clientes livres.

Na geração, é o terceiro maior agente privado do país, com um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis. A CPFL Geração conta com 2.248 MW de potência instalada, considerando sua participação equivalente em cada um dos ativos de geração. Em 2011, criou a CPFL Renováveis, com ativos como PCHs, parques eólicos, termelétricas a biomassa e a usina solar Tanquinho, pioneira no Estado de São Paulo e uma das maiores do Brasil. Adicionando a participação equivalente na CPFL Renováveis, a capacidade instalada total do Grupo CPFL atingiu 3.192 MW no final do terceiro trimestre de 2016. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros.

A CPFL Energia tem ações listadas no Novo Mercado da BM&FBovespa e ADR Nível III na NYSE, além participar do Índice Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets e do Morgan Stanley Capital International Global Sustainability Index (MSCI). Pelo 11º. ano consecutivo, as ações da companhia integram a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&FBovespa.

Tags:
    Piratininga; Investimentos; Santos;