Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

Circuito CPFL traz a Campinas o Cine Autorama, projeto de cinema no modelo Drive In

Escrito por:

Assessoria de Imprensa   22/11/2017


Campinas, 21 de setembro de 2017 - O Circuito CPFL, projeto do Instituto CPFL que neste ano levou atividades culturais e esportivas para cerca de 100 municípios em cinco estados do país, traz a Campinas, nos dias 1 e 2 de dezembro, o Cine Autorama, cinema ao ar livre que retoma o modelo Drive-in de exibições, nas quais as pessoas assistem aos filmes dentro dos automóveis.

As sessões acontecem na Pedreira do Chapadão, à rua Dr. Alcides Carvalho, s/n. 

Na sexta-feira, 1º/12, às 20h, será exibido o curta “Procura-se” e, às 20h15, o longa “E.T. – O Extraterreste’, de Steven Spielberg. No sábado, 02/12, às 20h, também será exibido o curta “Procura-se” e, às 20h15, o filme “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”, Randal Kleiser, com John Travolta e Olivia Newton-John nos papeis principais.

A entrada é franca e os lugares nas sessões devem ser reservados através do site do projeto (www.cineautorama.com.br). Quem não conseguir reservar vagas pelo site ou mesmo decidir de última hora ir assistir à sessão pode ir até o local e aguardar na fila de espera.

Um dos diferenciais do projeto é a transmissão do som do filme feita pelo rádio FM. As pessoas podem sintonizá-lo pelo rádio do carro ou pelo celular. Além disso, a exibição acontece a qualquer que seja o clima, mesmo com frio e chuva, já que os espectadores estão dentro dos seus carros e o telão inflável é resistente às intempéries. 

Campinas será a 11ª.  cidade paulista a receber o projeto em 2017. 

Em São Paulo, o projeto foi viabilizado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet), com o patrocínio da CPFL Energia, em parceria com o Instituto CPFL, a Sices Brasil e Associação Cultural Simbora, com realização da Brazucah Produções, Ministério da Cultura e Governo Federal. Em Campinas, o projeto conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura.

Mesmo com um pé fincado na nostalgia, o Cine Autorama tem o outro pé na modernidade. A equipe percorre o Brasil em uma moderna van, equipada com projetor de alta luminosidade, e na exibição dos filmes o áudio é transmitido de forma inovadora: através de uma estação de rádio FM. “Basta ligar o rádio do carro ou mesmo sintonizar através do smartphone”, conta Marco Costa, da Brazucah Produções, coordenador do projeto. Além disso, a exibição pode ser realizada em qualquer clima, mesmo com frio e chuva. “Nossa estrutura lembra muitas vezes a de um circo, já que montamos tudo rapidamente, em um único dia. Nas diversas cidades, as pessoas ficam encantadas quando veem surgir o telão, inflável, de 14X10 metros, que é resistente a quase todas as condições climáticas”, acrescenta Marco Costa.

O Cine Autorama é montado em espaços públicos amplos que comportam, dependendo da área oferecida pela cidade, entre 50 e 200 carros. Não há cobrança de ingressos. Na chegada, após passarem por um pórtico de entrada, o público (formado por casais e famílias inteiras) são recepcionados por promotores que oferecem orientações e a programação. Se o espectador precisa de mais alguma informação ou ajuda, basta ligar o pisca-alerta, que logo um monitor vai até o carro.

Se alguém não tiver rádio no carro ou smartphone, recebe emprestada uma caixinha de música, para acompanhar o filme. Este ano, há uma inovação: em cada cidade são disponibilizados 30 assentos ao ar livre para pessoas que não dispõem de veículos. 

As sessões do Cine Autorama são parte do Circuito CPFL, projeto do Instituto CPFL que promove eventos abertos ao público com o melhor das manifestações artísticas, culturais e esportivas do País. Em 2017 o Circuito CPFL passou por municípios de São Paulo, Rio Grande do Norte, Ceará e Rio Grande do Sul.

De acordo com Marco Costa, a escolha dos filmes passa por uma análise criteriosa. “O conceito da curadoria é selecionar duplas de filmes que tragam alguma memória afetiva e nostálgica que reforce o próprio sentimento de resgate que existe no projeto. As duplas de filmes guardam algum diálogo temático, de gênero cinematográfico ou alguma referência entre si.”

Marco Costa acrescenta que em todos os lugares a equipe da Brazucah faz pesquisas de avaliação através de folhetos distribuídos na entrada do evento. Os resultados: Ótimo: 88,48%; Bom: 9,72%; Regular: 0,45%; Ruim: 0%; e Muito Ruim: 1,35%. De acordo com o coordenador do projeto, cerca de 73% do público preenche o formulário de avaliação.
 
Uma breve história do Cine Autorama

O projeto foi iniciado em 2015, em parceria com o Shopping Continental.  Foram realizadas 16 sessões ao longo de dois meses, como evento especial de aniversário do shopping. Foram exibidos filmes como “E.T – O Extraterreste”, “Os Caças-Fantasmas” e “Titanic”.  Durante o período, estiveram no local cerca de 1.120 carros e 2.800 pessoas.

Em 2016, o Cine Autorama participou do Circuito CPFL de Arte e Cultura. Foram 40 sessões em 20 cidades no interior de São Paulo, ao longo de quatro meses: Altinópolis, Avaré, Barretos, Bebedouro, Brodowski, Capivari, Hortolândia, Ibitinga, Itapira, Ituverava, Jaú, Matão, Mirassol, Mococa, Monte Alto, Orlândia, Paulínia, São Joaquim da Barra, São José do Rio Preto e Taquaritinga. Cerca de 2.260 carros e 5.600 pessoas compareceram.

Neste ano foi o primeiro em que o Cine Autorama saiu do estado de São Paulo. Foram visitadas dez cidades do interior de São Paulo e dez do interior do Rio Grande do Sul. Além disso, ocorreram sessões na capital paulista. Até agora, cerca de 8.000 pessoas assistiram às exibições do Cine Autorama em 2017. “A ideia é despertar a curiosidade do público, resgatando o cinema drive-in e, claro, o interesse para o próprio Cinema. No final, queremos que as pessoas aproveitem e se divirtam com essa experiência nostálgica”, diz o diretor.
 
Uma breve história do Drive-in

Assim como acontece em relação ao resgate dos LPs, em diversos países têm surgido projetos e movimentos relacionados ao cinema Drive-in. Nos Estados Unidos, empresas e sociedade têm realizado campanhas para salvar a extinção e resgatar esse modelo de exibição que faz parte da memória afetiva do país e que nas décadas de 1930 e 40 contava com o incrível número de quatro mil lugares de exibição e que continuou forte até a década de 70.

No Brasil, o cinema Drive-in chegou com força na década de 60 e teve seu apogeu nos anos 70. Em São Paulo, um dos lugares mais conhecidos era o Chaparral, inaugurado em 71, no bairro da Penha. Também foram muito conhecidos o Snob’s Auto Cine (68), na avenida Santo Amaro, e o Moon Auto Cine (70), localizado na avenida Interlagos.

Ao contrário dos Estados Unidos, os drive-ins no Brasil tiveram pouca longevidade, já que na década de 70 tiveram início as transmissões via satélite e o surgimento da tv a cores.  Muitos drive-ins fecharam. Outros tantos se tornaram motéis e aos poucos a ideia de ida ao drive-in deixou de ser associada a um programa cultural e familiar. 

Nos últimos anos, também no Brasil o resgate do drive-in tem acontecido.  “Descobriu-se que está na memória afetiva até de quem nunca assistiu a um filme em um drive-in, mas já assistiu alguma referência a ele em algum filme antigo ou mesmo em um desenho animado, como os Flintstones”, analisa Marco Costa, sócio da Brazucah Produções e diretor do projeto Cine Autorama, que está em seu terceiro ano.   

“O objetivo do projeto de resgatar o conceito e a memória original desses espaços de exibições de filmes, movimento que está em ascensão no País. É fascinante saber que o Drive-in Chaparral voltou a realizar sessões, em parceria com o SESC Osasco, no estacionamento da instituição e tem sido um grande sucesso de público. Há outras iniciativas que também podem ser destacadas, como o Cine Drive-in de Brasília. Felizmente, o Cine Autorama cresce a cada ano. Estivemos este ano em várias cidades de São Paulo e Rio Grande do Sul e a previsão é que em 2018 nosso projeto viaje para ao menos cinco estados do País”, conta Marco Costa. 
 
Veja algumas curiosidades sobre o Cine Autorama

* Foram realizadas duas sessões voltadas a fanáticos por carros antigos. Nesses eventos foi exibido o documentário “Nutz – Loucos por Carros”, de Dino Dragone. Uma mulher foi de van com os pais mais velhinhos e os três filhos e seu marido foi de carro, para todos terem a oportunidade de ver o filme. Ela abraçou a produção do Cine Autorama e falou que realizou um sonho. Isso foi em Hortolândia-SP

*As pessoas vão assistir aos filmes nos mais diferentes trajes. Desde gente que vai elegante, como se fosse a um cinema no Shopping ou mesmo a um teatro, a pessoas que vão despojadas. Na cidade de Jaú, um espectador foi de pijama!;

*Em São José do Rio Preto, a produção foi procurada por um senhor que fazia questão de se apresentar. Ele contou que trabalhou no cinema drive-in “Auto Cine Aquarius”, nos anos 80. Estava extremamente feliz e até emocionado por mostrar ao filho como era essa experiência;

*As pessoas vão ao Cine Autorama nos mais variados veículos. Em Capivari, aconteceu uma cena inusitada: um casal foi assistir ao filme de charrete;

*Embora exista comida para ser consumida no próprio local do drive-in, algumas pessoas levam lanches de casa, como pizzas e sanduíches.

*Lajeado, no Rio Grande do Sul, recebeu o maior público da temporada 2017 do Cine Autorama. Em uma única sessão foram contabilizados 137 carros e 345 pessoas.

Sobre a Brazucah

A Brazucah é uma produtora cultural e agência de comunicação que tem como objetivo a formação de público para o cinema brasileiro. Desde 2002 no mercado, a Brazucah já realizou, em seus diferentes projetos, ações de divulgação para mais de 120 filmes dos mais diferentes perfis, como “Gonzaga - de pai pra Filho”, de Breno Silveira; “Raul – o início, o fim e o meio”, de Walter Carvalho;  “Xingu”, de Cao Hamburguer; e “Uma Noite em 67”, de Ricardo Calil.

Como produtora cultural, a Brazucah desenvolve projetos culturais com foco em cinema brasileiro e sua democratização em parceria com organizações, empresas e marcas.  Seus projetos em conjunto  já realizaram mais de 1500 eventos  para um público superior a 200 mil espectadores. Além do Cine Autorama, se destacam projetos como o Cinesolar e o CineB.
 
Sobre o Instituto CPFL

O Instituto CPFL nasceu em 2003 como um programa cultural do grupo CPFL Energia, disposto a promover o diálogo e a reflexão sobre temas e práticas do mundo contemporâneo, com foco no compartilhamento do conhecimento. O programa cresceu e hoje centraliza também ações sociais, esportivas e de qualidade de vida. Leva mobilização e transformação através do conhecimento aos mais diversos públicos, por meio de plataformas digitais e de atividades gratuitas em cidades de influência do grupo CPFL Energia. O Instituto CPFL acredita que construir valores simbólicos, empoderar diversidades, reduzir vulnerabilidades, valorizar patrimônios físicos e imateriais e incentivar projetos coletivos de vida ampliam a capacidade das pessoas de ver e de estar no mundo.

Sinopses dos filmes
 
E.T – O Extraterrestre (1982, 2h01min, livre)
Dirigido por Steven Spielberg, o filme conta a história de um menino que faz amizade com um pequeno alienígena inofensivo que ficou sozinho na Terra, protegendo-o de todas as formas para evitar que seja capturado e transformado em cobaia. Gradativamente, após sustos de ambas as partes, surge uma forte amizade. O filme ganhou em 83, o Oscar nas categorias de Melhor Trilha Sonora, Melhores Efeitos Especiais, Melhores Efeitos Sonoros e Melhor Som. Foi também indicado nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Fotografia e Melhor Edição. No mesmo ano, também ganhou o Globo de Ouro de Melhor Filme (drama) e Melhor Trilha Sonora, além de ser indicado para Melhor Diretor, Melhor Roteiro e Melhor Revelação Masculina (Henry Thomas). No elenco, Henry Thomas, Drew Barrymore, Dee Wallace, Peter Coyote e Robert MacNaughton. E.T. – O Extraterrestre foi a maior bilheteria da história do Cinema por 11 anos, até ser ultrapassado por Jurassic Park, também de Spielberg, em 93.
 
Grease – Nos Tempos da Brilhantina (1978, 1h50min, 12 anos)
Dirigido por Randal Kleiser, com John Travolta e Olivia Newton-John nos papeis principais. Na Califórnia na década de 50, Danny e Sandy, um casal de estudantes, trocam juras de amor mas se separam, pois ela voltará para a Austrália. Entretanto, os planos mudam e Sandy por acaso se matricula na escola de Danny. Para fazer gênero ele infantilmente lhe dá uma esnobada, mas os dois continuam apaixonados, apesar do relacionamento ter ficado em crise. Esta trama serve como pano de fundo para retratar o comportamento dos jovens da época.
 
Procura-se (2010, 14min, livre)
Dirigido por Iberê Carvalho, com elenco formado por nomes como Bianca Terraza, Bruna Cobello e Heitor Velez, conta a história de Camile, que está determinada a encontrar o seu cachorro Bolinha, mas que para encontrá-lo precisará viver a maior aventura da sua vida.

Tags:
    Instituto CPFL; Cultura; CPFL Energia; Circuito CPFL; Cine Autorama