Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Energia concede prêmio de R$ 110 mil no Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade

Escrito por:

Comunicação RGE    11/03/2012

Evento acontece de 22 de março a 1º de abril em São Paulo e Rio de Janeiro; entre os homenageados, está o cineasta Eduardo Coutinho

Pelo sexto ano consecutivo, a CPFL Energia patrocina o Prêmio CPFL Energia/É Tudo Verdade – Janela para o Contemporâneo, no valor de R$ 110 mil (o maior valor brasileiro e um dos maiores mundiais concedidos a um documentário) - ao vencedor da competição brasileira de longas e médias-metragens do Festival.

O evento, na sua 17ª edição, acontece entre os dias 22 de março e 01 de abril em São Paulo e Rio de Janeiro, simultaneamente, com itinerâncias em Brasília, entre os dias 10 e 15 de abril, e pela primeira vez em Belo Horizonte , em maio próximo.

Com um leque de 80 títulos de 27 países, sendo 25 documentários em estréia mundial, o É Tudo Verdade, fundado e dirigido pelo crítico Amir Labaki, homenageia Eduardo Coutinho, na retrospectiva nacional, e o argentino Andrés Di Tella, na internacional.

As sessões de abertura contarão com duas produções brasileiras que têm importantes personalidades e contextos musicais como denominador comum: Tropicália, de Marcelo Machado, que abre o festival em São Paulo , no dia 22, e Jorge Mautner – O Filho do Holocausto, de Pedro Bial e Heitor D'Alincourt, que abre a versão carioca no dia 23.

A seleção internacional, dividida em mostras competitivas (longas e curtas) e informativas (Especiais, O Estado das Coisas, Foco Latino-Americano), apresenta obras premiadas em festivais como o de Amsterdã (IDFA, Holanda), Sundance (EUA), DocLisboa (Portugal) e Fidocs (Chile) e destaques da seleção não-ficcional de Cannes e Veneza.

Em projeção especial, será exibido o vencedor do Oscar de curta-metragem deste ano, "Saving Face" de Daniel Jung e Sharmeen Obaid. Entre os títulos "hors concours", encontram-se ainda os novos documentários de mestres como Frederick Wiseman (Crazy Horse), Juan Carlos Rulfo (Carrière 250 Metros ), Micha X. Peled (Amargas Sementes), Rithy Panh (Duch), Victor Kossakovsky (Vivam os Antípodas) e Werner Herzog (Ao Abismo).

Coutinho e Tella

A retrospectiva brasileira convida a uma revisita do período de formação de Eduardo Coutinho como documentarista. "Coutinho – O Caminho até "Cabra" apresenta sete títulos e dois debates com a participação do cineasta e colaboradores essenciais para a realização de  "Cabra Marcado para Morrer" (1984) e para seu presente restauro pela Cinemateca Brasileira.

A retrospectiva internacional apresentará a obra de Andrés di Tella, cineasta argentino que já participou do festival com obras em competição (A Televisão e Eu) e, em 2002, integrou o júri internacional. Inédita no Brasil, a mostra apresentará seus seis longas-metragens, além de um curta e uma média-metragem.

Entre os longas, destaca-se o inédito Golpes de Machado (Hachazos, 2011), que recupera a trajetória de Claudio Caldini, um cineasta experimental de atuação marcante nos anos 70, hoje recolhido em uma propriedade rural, num subúrbio de Buenos Aires. Di Tella foi também o criador e primeiro diretor do Bafici, o Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires.

A Competição Brasileira de Curtas-Metragens exibirá nove filmes, sendo seis em estreia mundial. O vencedor receberá um prêmio no valor de R$ 10 mil e o Troféu É Tudo Verdade.

A 12a edição da Conferência Internacional do Documentário discutirá esse ano a utilização de técnicas de animação nos filmes não ficcionais, sob o título "O Real Animado". Realizada em parceria com a Cinemateca Brasileira, com o apoio do CINUSP Paulo Emílio e da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, a Conferência promoverá quatro mesas de debate e uma pequena mostra de filmes.

O material gráfico do É Tudo Verdade celebra a obra do fotógrafo nipobrasileiro Roberto Yoshida (1911 – 1978). A foto Arranha-Céus, de 1959, provocou intensa polêmica quando veio a público nos salões fotográficos paulistas da época, ao antever uma outra São Paulo a partir de uma composição produzida com o retalhamento de duas cópias de uma mesma fotografia da metrópole.

O É Tudo Verdade – 17º Festival Internacional de Documentários é uma co-realização do Ministério da Cultura –MINC, Secretaria do Audiovisual – SAV, CPFL Energia, PETROBRAS, BNDES, CCBB, , OI, SESC-SP, RIOFILME, Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro - Lei de Incentivo à Cultura e Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – Programa de Ação Cultural  2012. Conta ainda com o apoio da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

Tags: