Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

Release

CPFL Paulista investe R$ 6,7 milhões na rede elétrica na região do polo têxtil

Escrito por:

Assessoria de imprensa   23/05/2016

Recursos foram aplicados neste ano para expansão e manutenção do sistema elétrico de Americana, Santa Bárbara d'Oeste, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia ​

Americana, 20 de maio de 2016 - A CPFL Paulista, maior distribuidora de energia elétrica do Grupo CPFL Energia, investiu, nos três primeiros meses do ano, R$ 6,7 milhões em obras de expansão e manutenção do sistema elétrico nas cidades da região do polo têxtil do interior paulista. A concessionária destinou R$ 1,8 milhão para Santa Bárbara d'Oeste, R$ 1,4 milhão para Sumaré, R$ 1,4 milhão em Americana, R$ 1 milhão para Nova Odessa, e R$ 900 mil para Hortolândia.

Os recursos foram aplicados em obras de rede de distribuição, reforma e ampliação de subestações e linhas de transmissão. São de projetos de expansão do sistema elétrico para atender ao crescimento da demanda por energia na região e também garantir mais qualidade no fornecimento de energia, melhorando o nível de conforto para os seus 395,3 mil consumidores na região.

Do montante total, a CPFL Paulista destinou R$ 2,8 milhões em projetos voltados ao atendimento ao cliente, como a instalação de novos medidos para clientes residenciais, comerciais e industriais e a expansão das redes elétricas para a conexão de novos consumidores. A concessionária ainda investiu outros R$ 2,2 milhões em obras que dão suporte ao crescimento do mercado consumidor, como o aumento de capacidade de subestações e linhas de transmissão.

A concessionária aplicou R$ 741 mil na manutenção da rede elétrica da região, dos quais R$ 306 mil na substituição de transformadores avariados. Outros R$ 922 mil foram investidos em melhorias do sistema elétrico e em projetos especiais.

"Entramos em uma época do ano mais propícia à conclusão de obras em rede elétrica, uma vez que esta estação tende a ser mais seca e com menor número de ocorrência de temporais. Temos que continuar o nosso trabalho para que, na chegada do verão, a rede elétrica esteja robusta e capaz de manter o fornecimento de energia elétrica com o menor número de interrupções possível", afirma Carlos Zamboni Neto, presidente da CPFL Paulista.

Os investimentos na região são parte dos R$ 101 milhões investidos no primeiro trimestre de 2016 na área de concessão da CPFL Paulista, composta por 234 cidades no interior do Estado de São Paulo. O valor, que representa uma alta de 49,7% ante igual intervalo de 2015, equivale a 48,6% dos R$ 208 milhões investidos pelo Grupo CPFL Energia no segmento de distribuição nos três primeiros meses de 2016.

O plano de investimento colocado em prática pela CPFL Paulista realizou obras como ampliações da rede elétrica de distribuição, serviços para atendimento ao cliente, a manutenção de equipamentos e aumento de capacidade de conjuntos elétricos para permitir a demanda por energia elétrica e, por consequência, o desenvolvimento econômico das cidades.  

 

Qualidade e indicadores

O investimento na rede elétrica impacta diretamente na qualidade do serviço. Com padrões de rede mais modernos, mais fortes e menos susceptível a interferência de fatores externos, como queda de árvores e galhos, colisões de veículos e objetos lançados contra os cabos pela força dos ventos, que representam 2/3 dos desligamentos registrados hoje. Os investimentos também dão suporte ao crescimento econômico das cidades que, em termos de infraestrutura energética, estão sendo preparadas para o aumento do consumo de energia elétrica nas próximas décadas.

Para a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), órgão que regulamenta o setor elétrico brasileiro, a CPFL Paulista é uma das melhores distribuidoras de energia do Brasil, se levarmos em consideração os índices de continuidade DEC (que é uma média da duração dos casos de falta de energia, por cliente) e o FEC (que é uma média da frequência dos casos de falta de energia, por cliente).

Em média, o cliente da CPFL Paulista ficou 7,75 horas sem energia (DEC) em 2015, o segundo melhor indicador entre as distribuidoras brasileiras. Já a quantidades de vezes que o consumidor ficou sem energia (FEC), na média, foi de 4,89 vezes no ano passado, o terceiro melhor índice brasileiro. Para ter uma base de comparação, os consumidores brasileiros ficaram, na média, 17,61 horas sem energia em 2015 e o FEC foi de 9,94 vezes.

Tags:
    investimento