Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
SharePoint

 Súmulas de Orientação

 

Relações de Parentesco

​CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 001, DE 31 DE JULHO DE 2007.

 

Ref.: Relações de Parentesco

Configura conflito de interesses, conforme disposto no item 4.3.5 do Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL Energia, a situação de colaboradores da CPFL que tenham parentes prestando serviços em empresas fornecedoras da Companhia, desde que presentes dois requisitos:   

1-que os contratos estejam sob gestão, coordenação e fiscalização do colaborador;  

2-que o parente tenha posição de gestão ou decisão relacionada com o contrato em questão.    

Caracteriza-se como "parente" um ascendente ou descendente direto, irmão, tio, primo, sobrinho ou cônjuge, nos termos do item 4.3.5.3 do mesmo Código de Ética. 

Serviços de Interesse Particular

​CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 002, DE 31 DE JULHO DE 2007.

 

Ref.: Serviços de Interesse Particular 

O Comitê de Ética e Conduta Empresarial da CPFL Energia, no uso das atribuições regimentais, resolve:

Art. 1º Aprovar a criação da Súmula nº 002, nos seguintes termos: 

"É vedada a realização de serviços particulares que possam conflitar com as funções desempenhadas junto a CPFL.

Entretanto, caso não haja conflito entre as funções desempenhadas na CPFL e o serviço particular, não será admissível que a captação ou a realização desses se dê nas dependências ou em horário de trabalho.

Art. 2º Esta Súmula entra em vigor na data de sua publicação.

Palestras Externas

​CPFL Energia 

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 003, de 07 de maio de 2009.

​ 

Ref.: Palestras de Colaboradores

“Os Colaboradores da CPFL podem proferir palestras remuneradas em eventos externos à empresa, desde que:

a) trate-se de atividade fora de seu horário de trabalho;

b) o tema abordado tenha um caráter genérico e não específico a um projeto ou programa da CPFL. Neste caso o convite deve ser dirigido à CPFL e o palestrante por ela indicado não fará jus a qualquer outra remuneração;

c) não revelem segredos de negócio, nem expressem opinião, tese ou posição conflitante com as políticas, práticas e interesses da CPFL;

d) não impliquem qualquer custo para a CPFL, inclusive de viagens, hospedagem, alimentação etc.

Não existem restrições ao exercício de atividades docentes e acadêmicas regulares dos Colaboradores fora da CPFL, observadas as disposições do item 4.3.5.2 do Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL Energia”.

Almoços de Confraternização

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 004, de 07 de maio de 2009.

​ 

Ref.: Almoços de Confraternização

“A CPFL considera que não há impedimento ético prévio a que seus gestores e líderes aceitem, para si ou para seus subordinados, convites de fornecedores ou clientes para participarem de eventos de comemoração ou confraternização, inclusive almoço ou jantar, contanto que sejam respeitados os parâmetros de não usufruto de vantagem pessoal indevida, transparência, publicidade e bom senso, no que se refere ao valor, local e identidade do convidante; mas recomenda que, diante de qualquer dúvida ou risco de conflito de interesses, real ou aparente, o convite seja cordialmente recusado”.

Súmula de Tentativa de Extorsão

CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 005, de 13 de agosto de 2009

 

Ref.: Tentativa de extorsão por parte de empregados de empresas prestadoras de serviços a empresas da CPFL

Considerando-se:

- a ocorrência comprovada de tentativa de extorsão a um Cliente, da parte de empregados de empresa prestadora de serviços a empresas da CPFL;

- a suficiente clareza de princípios e compromissos com que o Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL trata o tema “Corrupção e Favorecimento”, em seu item 4.8. (“O grupo CPFL repudia toda e qualquer forma de corrupção, favorecimento, extorsão e propina, em todos os níveis”),

a CPFL reafirma que toda denúncia acerca dessa irregularidade será minuciosamente averiguada e que, havendo comprovação, a empresa prestadora de serviços estará sujeita a notificação, exigência de apresentação de Plano de Ação Preventivo de Irregularidades, cobrança de multa pecuniária, suspensão imediata do Contrato de Prestação de Serviços e/ou encaminhamento de queixa-crime. 

Súmula de Patrocínio de Rodeios e Futebol

CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 006, de 13 de agosto de 2009

 

Ref.:  Patrocínio e cortesias de Rodeios e Futebol Profissional

Considerando-se: 

- o Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL Energia, que no seu item 4.9. apresenta diretriz clara para a conduta empresarial da CPFL Energia no que se refere a Publicidade, Propaganda e Concessão de Patrocínios;

- a Política de Patrocínios, Doações, Parcerias Institucionais e Convênios nº 11.101/07, aberta a associações que valorizam a marca do grupo CPFL na medida de suas qualidades universais de agregação, unificação, sustentabilidade e desenvolvimento;

- o recente reposicionamento de Marca da CPFL que corroborou essas políticas;

- os frequentes questionamentos de Gestores acerca da conduta adequada diante de convites de cortesia para participarem de camarotes ou assentos ou para aparições públicas em Rodeios ou partidas de Futebol profissional, 

a CPFL reafirma que o aceite de tais convites configura descumprimento de nosso Código de Ética e de nossa Política de Patrocínios, gerando prejuízo à marca CPFL. Os colaboradores da CPFL podem participar de tais eventos apenas em caráter pessoal. Os eventuais relacionamentos institucionais dos gestores e demais colaboradores da CPFL com eventos e atividades dessa natureza devem ser de caráter estritamente comercial. 

Súmula de Acesso aos Sistemas

CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 007, de 14  de julho de 2010

 

Ref.: Cuidado e Zelo com a Identificação de Acesso aos Sistemas

Considerando-se:

- a política da CPFL de estimular e valorizar a responsabilidade de seus colaboradores, que reconhece o exercício responsável e conseqüente da autonomia como um indicador da boa formação e da qualidade técnica e moral dos seus colaboradores;

- o pacto social manifesto no Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL Energia, que implica compromisso e zelo dos colaboradores com o patrimônio material e imaterial da empresa;

- o item 4.3.4. do mesmo Código de Ética como diretriz de conduta dos colaboradores quanto à Segurança das Informações no grupo CPFL, visando a garantir o uso correto e a proteção adequada da base de informações de nossas empresas;

- a Política de Segurança da Informação do Grupo CPFL, que determina ser de responsabilidade dos usuários dos sistemas de informação e serviços corporativos de rede manter sigilo da senha de acesso aos recursos e sistemas do Grupo CPFL e zelar por todas as informações acessadas;

- o caráter pessoal e intransferível do uso dessa senha de identificação de acesso do colaborador à rede corporativa de dados da CPFL, 

O Comitê de Ética e Conduta Empresarial da CPFL declara que:

1. todo usuário na rede corporativa de dados da CPFL tem o dever de manter com estrito cuidado e zelo sua identificação de acesso, sendo de sua inteira responsabilidade as ações realizadas com a utilização de sua identificação;

2. caberá à Auditoria Interna a apuração dos casos de descumprimento deste compromisso e à Diretoria Executiva, com o auxílio do Comitê de Ética, a atribuição das medidas disciplinares correspondentes.

Súmula de Posicionamento da CPFL com respeito à Lealdade Concorrencial

​CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 008, de 20 de junho de 2011

 

Ref.:  Posicionamento da CPFL com respeito à Lealdade Concorrencial

Considerando-se:

- a ocorrência de problemas legais, morais e éticos no mercado, relativos à lealdade concorrencial;

- o compromisso expresso da CPFL de não admitir práticas de concorrência desleal, tal como já formulado em seu Código de Ética e de Conduta Empresarial (item 4.3.5.1.);

- as eventuais dúvidas de interpretação acerca dos fundamentos, do alcance e da aplicação desse compromisso,

O Grupo CPFL resolveu explicitar o seu compromisso de exercer a competitividade positivamente, isto é, com base no princípio ético de busca da excelência e de sua capacidade de negociação, em todas as suas atuações no mercado, respeitando a liberdade de iniciativa, a liberdade de concorrência, a função social da propriedade e a defesa dos consumidores, comprometendo-se com a prática, a promoção e a defesa da concorrência leal nos negócios. 

Súmula de Posicionamento da CPFL sobre Relações Trabalhistas

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 09, de 27 de outubro de 2011

​ 

Ref.:  Posicionamento da CPFL sobre Relações Trabalhistas

Considerando-se:

- a frequência com que chegam a este Comitê de Ética denúncias de supostas transgressões ao Código de Ética, as quais, quando examinadas de perto, revelam-se mais propriamente como problemas de natureza administrativa das relações da CPFL com seus colaboradores, clientes e empresas prestadoras de serviços;

- que não é função deste Comitê de Ética gerenciar conflitos de ordem trabalhista;

- que a CPFL, tal como registrado em seu Código de Ética, tem compromissos públicos de manter-se e desenvolver-se como uma empresa ética, fundada nos princípios da honestidade, integridade, transparência, veracidade, tratamento digno e respeitoso a todas as pessoas;

O Comitê de Ética afirma que:

1. as relações trabalhistas e comerciais da CPFL devem ser pautadas sempre pelo estrito cumprimento do direito e da justiça; e mais, que devem ser evitadas formas e relações de trabalho que possam ter a aparência de desconformidade com o direito e a justiça. Isso se aplica de modo especial às situações em que não exista perfeito alinhamento entre as funções efetivamente exercidas por seus colaboradores e o perfil prescrito de seus cargos e sua nomenclatura;

2. a CPFL manterá uma instância denominada “Diálogo Social”, prevista em acordos coletivos que tem firmado com as entidades sindicais desde junho do corrente ano, sendo que um dos seus propósitos é discutir a aplicação de questões trabalhistas do cotidiano, visando dirimir dúvidas e rever o que seja pertinente. Nesse mesmo sentido, há um compromisso firmado, também em acordo com tais entidades, de que a empresa tenha um prazo para responder administrativamente a reclamações sobre eventuais direitos que trabalhadores consideram não cumpridos;

3. quando o Comitê de Ética tiver como objeto um assunto que deva ser tratado pelo referido fórum de “Diálogo Social” ou pela Diretoria de Recursos Humanos, por analogia à cláusula do acordo coletivo que estabelece prazo para resposta de reclamações de natureza trabalhista, a matéria será encaminhada à referida Diretoria para que responda diretamente ao interessado, sem prejuízo de que seja submetida ao fórum de “Diálogo Social”. O Comitê de Ética, para assegurar o controle de resposta a quem acessou o Comitê, receberá cópia da resposta dada ao reclamante;

4. a postura ética fundamental e desejável da CPFL diante de conflitos trabalhistas e comerciais, onde o pleiteante tenha razão, será a da busca do entendimento e do acordo;

5. não obstante essas medidas e esse posicionamento, o Comitê de Ética mantém-se como uma instância acolhedora e processadora de toda e qualquer denúncia que a ele chegue com características razoáveis de admissibilidade, que alegue referir-se a alguma transgressão do Código de Ética da CPFL.

Súmula de Reparação de trabalho infantil

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 010, de 23 de agosto de 2011

​ 

Ref.:  Reparação de trabalho infantil

Considerando-se que:

- a condenação do trabalho infantil é matéria consagrada na Constituição brasileira e na forma da Lei;

- a Norma SA 8000 (2008) veda às empresas o envolvimento com a utilização de trabalho infantil;

- a ABNT NBR ISO 26000 (2010) reconhece a vulnerabilidade das crianças e afirma seus direitos específicos com relação ao trabalho;

- o Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL (2006) veda expressamente a contratação de fornecedores que utilizem trabalho infantil (item 4.3.5.1);

o Comitê de Ética afirma que:

1. a identificação de crianças trabalhando na cadeia produtiva da CPFL em situações que se enquadrem na definição de trabalho infantil deve resultar em ações imediatas de interrupção da ação, correção das rotinas que a propiciaram e reparação das vítimas; 

2. a reparação das vítimas deve ser cumprida segundo políticas previamente estabelecidas e deve contemplar apoio financeiro, psicológico e social suficientes para as crianças e para suas famílias de modo a possibilitar sua frequência regular à escola até ultrapassarem a idade de proteção estabelecida pela legislação e a plena proteção de seus demais direitos;

3. o dever de ações reparatórias será identificado como resultado de sistemáticas auditorias internas e externas do SGI e auditorias junto a fornecedores, ou em consequência de denúncias apresentadas ao Canal de Conduta Ética e devidamente apuradas;

4. o custeio e a gestão da prevenção, correção e reparação acima referidas incidirão sobre a empresa direta e imediatamente responsável pelo crime, sem prejuízo de que a mesma arque, ademais, com as consequências judiciais do caso;

5. a eventual utilização de trabalho infantil na cadeia produtiva da CPFL será reportada ao Comitê de Ética para que o mesmo considere tal vulnerabilidade em sua política de gestão e desenvolvimento da ética na empresa. 

Súmula de Recebimento de denúncias vazias

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 11 , de  22 de maio de 2012

​ 

Ref.:  Recebimento de denúncias vazias sobre transgressões ao Código de Ética

Considerando-se:

- que têm chegado a este Comitê de Ética denúncias sobre supostas transgressões ao Código de Ética, as quais, quando averiguadas, revelam-se vazias, isto é, desprovidas de evidências materiais; e

- que uma denúncia alcança a plenitude de seu valor ético quando apresenta-se com a identificação de seu manifestante; mas também que toda pessoa tem o direito de apresentar denúncia anônima se considerar que o ato de denunciar a colocará em posição vulnerável a retaliações por parte do(s) sujeito(s) denunciado(s),

Comitê de Ética afirma que:

1. o Comitê de Ética é uma instância acolhedora e processadora de toda e qualquer denúncia que se refira a alguma transgressão do Código de Ética e de Conduta Empresarial da CPFL Energia, que a ele chegue com características razoáveis de admissibilidade;

2. o Comitê de Ética continuará recebendo denúncias anônimas, mas considerará a identificação dos manifestantes como preceito e o seu anonimato como exceção;

3. o Comitê de Ética se dispõe a ouvir o denunciante anônimo, oferecendo-lhe formalmente garantias de  confidencialidade, sempre que as evidências de irregularidades por ele apresentadas anonimamente se mostrarem insuficientes para um exame completo dos fatos.  

 

Campinas, 22 de maio de 2012

  

Comitê de Ética e Conduta Empresarial 

Súmula de Participação em eventos externos

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 12 , de 22 de maio de 2012

​ 

Ref.: Participação em eventos externos patrocinados por Fornecedores 

Considerando-se:

- que a participação em eventos de lançamento e promoção de novas tecnologias ou compartilhamento de novas práticas propicia um saudável encontro de empresas e profissionais, com notáveis ganhos de qualidade para seu desenvolvimento;

- a conveniência de serem reguladas tais participações, à vista dos riscos de conflitos de interesse, reais ou aparentes, nela implicados.

O Comitê de Ética afirma que:

1. a participação de empregados da CPFL em evento externo patrocinado por fornecedor ou indústria fabricante de produtos da cadeia de negócios da CPFL será estimulada quando o tema e objeto do evento for de relevante interesse tecnológico ou de inovação de práticas para a CPFL;

2. tal participação deverá ocorrer com ônus para a CPFL, sendo vedado ao colaborador aceitar qualquer patrocínio de viagens, hospedagens e diárias pelo promotor do evento, sendo aceitável apenas a eventual dispensa de pagamento de inscrição no evento. 

   

 Campinas, 22 de maio de 2012

Súmula de Exclusão de casos contenciosos da pauta do Comitê

​CPFL Energia

​ 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

​ 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

​ 

SÚMULA Nº 13 , de 12 de setembro de 2012

​ 

Ref.: Exclusão de casos contenciosos da pauta do Comitê

O Comitê de Ética, visando evitar duplicidade de análise e julgamento de casos de conflitos com a CPFL, estabelece que somente processará denúncia ou analisará casos de conflito ético cuja parte interessada não tenha ingressado com ação judicial contra a empresa. 

Não obstante, o Comitê manterá atenção e acompanhará tais casos contenciosos, para fins de complementação de diagnóstico sobre as áreas, funções e relações mais vulneráveis a conflitos éticos na empresa. 

Súmula de Confidencialidade no Comitê de Ética

CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 14, de 11 de junho de 2013

 

Ref.: Confidencialidade no Comitê de Ética

Considerando:

· o princípio ético de respeito ao direito de privacidade de todas as pessoas, especialmente quando implicadas em denúncias de transgressão ao Código de Ética; e

· que o dever de transparência de toda empresa diante de seus públicos deve compatibilizar-se com o seu direito de sigilo em sua política de segurança da informação, 

O Comitê de Ética e Conduta Empresarial da CPFL reafirma que:

1.    todas as informações pautadas em suas reuniões e nelas tratadas são por princípio confidenciais;

2.    somente mediante decisão explícita do próprio Comitê de Ética tais informações podem ser disponibilizadas ao público;

3.    as pautas e atas sumárias de suas reuniões sistematicamente publicadas no Portal da Ética da CPFL são redigidas de modo a respeitar esse princípio da confidencialidade;

4.    toda disponibilização pública de informações tratadas no Comitê de Ética será feita mediante procedimentos regulares previamente estabelecidos e será autorizada pelo próprio Comitê mediante critérios rigorosos;

5.    o representante da Sociedade Civil, o representante do Conselho de Representantes dos Empregados – CRE e os eventuais outros participantes das reuniões do Comitê de Ética, pelo fato de eventualmente representarem interesses diferentes das atribuições definidas no Regulamento Interno do Comitê de Ética, têm uma responsabilidade especial de respeito a esse dever de confidencialidade e não devem confundir seus papéis em respeito a esse dever;

6.    este dever de confidencialidade abrange:

a) os membros regulares do Comitê de Ética;

b) os colaboradores que, por ofício, lidam direta ou indiretamente com as informações processadas nas reuniões do Comitê de Ética;

c) os Diretores ou Gestores que, eventualmente, tomam conhecimento das denúncias em processo de averiguação;

d) os colaboradores que forem convidados a colaborar com averiguações junto à Comissão de Processamento de Denúncias Éticas;

e) os consultores externos que participarem de reuniões do Comitê de Ética;

f) os gestores, colaboradores ou quaisquer outras pessoas que, mediante convite ou convocação, participarem de reuniões do Comitê de Ética.

Súmula de Relacionamentos afetivos no ambiente de trabalho

​CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 15, de 09 de setembro de 2013

 

Ref.: Relacionamentos afetivos no ambiente de trabalho 

  

Considerando 

- que um ambiente de trabalho é propício ao conhecimento recíproco entre as pessoas e à aproximação afetiva entre elas;

- o princípio ético do direito à liberdade de todas as pessoas de construírem relacionamentos afetivos de modo incondicional;

- as dúvidas persistentes sobre as condições de aplicabilidade desse princípio nos ambientes de trabalho da CPFL,

 O Comitê de Ética e Conduta Empresarial da CPFL esclarece que:

1. não há restrição a que duas pessoas, independentemente de suas características ou identidades, seja de sexo, idade, função, cargo, relação hierárquica, ou qualquer outra, iniciem um relacionamento afetivo no ambiente da empresa;

2. entretanto, uma vez iniciado esse relacionamento, e caso as pessoas envolvidas trabalhem sob um mesmo gestor, ou executem tarefas diretamente complementares, ou estejam em linha de subordinação funcional, ambas devem imediatamente tomar a iniciativa de declarar essa situação a seu(s) respectivo(s) superior(es), para que sejam tomadas as medidas cabíveis de transferência imediata de um(a) ou ambos(as) do setor ou função, para evitar que haja qualquer aparência de conflito de interesses.

Súmula de Assédio Moral no Ambiente de Trabalho

CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética

 

Comitê de Ética e Conduta Empresarial

 

SÚMULA Nº 16, 08 de outubro de 2013

 

Ref.: Assédio moral no ambiente de trabalho

Considerando 
- o princípio ético estabelecido no Código de Ética da CPFL, de que em todos os relacionamentos, internos e externos, as pessoas sejam tratadas com dignidade e respeito (item 3.3);
- a diretriz de conduta empresarial da CPFL, estabelecida em seu Código de Ética, de repudiar toda forma de preconceito, discriminação e assédio, e de apurar e enfrentar situações de iniquidade, humilhação, exposição ao ridículo, intimidação, hostilidade e constrangimento, feitas sob qualquer pretexto (item 4.10);
- as dúvidas persistentes, chegadas ao Comitê de Ética, acerca do que caracteriza ou não um assédio moral;
- a definição de assédio moral como sendo toda e qualquer conduta abusiva, que se faz por ações insistentes, de modo vertical por quem tem mais autoridade e poder, ou de forma horizontal entre iguais, pela qual alguém molesta, importuna, desqualifica, intimida, humilha ou persegue outra pessoa, buscando exercer um certo domínio sobre ela, produzindo possíveis danos à sua honra, dignidade e integridade física ou psíquica, e degradando o ambiente de trabalho;

o Comitê de Ética e Conduta Empresarial reafirma que:
1.   a CPFL não tolera a prática de assédio moral entre os agentes de sua força de trabalho, sejam Executivos, Diretores, Gestores, Colaboradores ou Prestadores de Serviço, considerando-o uma grave transgressão ao seu Código de Ética;
2.   toda pessoa, vítima de assédio no ambiente de trabalho da CPFL, terá proteção da empresa para denunciar essa prática abusiva;
3.   toda denúncia de assédio moral será rigorosamente apurada e, uma vez procedente, gerará medidas disciplinares e punitivas cabíveis, assim como medidas preventivas para evitar sua repetição.
 
Súmula de Vedação de consumo de bebidas alcoólicas nas dependências da CPFL e em eventos patrocinados para Colaboradores

​CPFL Energia

 

Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética


Comitê de Ética e Conduta Empresarial


SÚMULA Nº 17, 09 de junho de 2015


Ref.: Vedação de consumo de bebidas alcoólicas nas dependências da CPFL e em eventos patrocinados para Colaboradores

 

O Comitê de Ética e Conduta Empresarial da CPFL, considerando:

- que a Reunião de Diretoria da CPFL, acatando recomendação do Comitê de Ética, decidiu vedar o consumo de bebidas alcoólicas nas dependências da CPFL e em eventos por ela patrocinados para Colaboradores;

- que o motivo dessa decisão é a responsabilidade da CPFL para com a saúde e a segurança dos Colaboradores, e que é indispensável que todos tenham clareza acerca desse motivo,

- decidiu que manterá receptividade especial no Canal de Acesso etica@cpfl.com.br para prestar todos os esclarecimentos necessários sobre o tema a todo Colaborador que apresentar qualquer dúvida a respeito.